Como identificar conservadores

Suspeita que um conhecido seu seja conservador ? Faça o teste e tire suas próprias conclusões. Confira abaixo as principais características de gente dessa estirpe; se essa pessoa apresentar pelo menos 5 comportamentos listados, a probabilidade é alta de que ela seja conservadora.

1) Gostam de proferir afirmações categóricas que parecem profundas, mas na verdade são meramente óbvias, conhecidas como “truísmos”, tais como “Estado laico não é Estado ateu” ou “órgão excretor não é órgão reprodutor”.

2) Utilizam-se de argumentos de autoridade, como “é assim porque eu disse” ou “acontece dessa forma porque fulano falou”.

3) Esperam que você acredite no que eles dizem, mesmo que não mostrem nenhum embasamento empírico ou suporte científico de qualquer natureza.

4) Adoram fazer generalizações. Vêem um ou dois casos e concluem que todos os outros são daquela forma.

5) Fazem relações absurdas, sem nexo, falácias conhecidas como “non sequitur”, como “se a maconha for liberada, dentro de alguns anos o país estará em ruínas devido ao colapso da economia” ou “a aceitação do homossexualismo implicará a extinção da raça humana”.

6) São religiosos, e freqüentemente se utilizam de sua religião para justificar suas opiniões.

7) Querem que a sociedade continue como está ou volte a ser como era, mesmo que isso implique estagnação ou retrocesso. Em outras palavras, preferem manter o ruim a mudar para melhor.

8) Não conseguem entender o significado das palavras “diferença”, “diversidade” e “tolerância”. Elas não constam em seu léxico e lhes soam grego.

9) Adoram chamar os opositores de “marxistas”, “comunistas” e “socialistas”, mesmo não sabendo o que esses termos significam.

10) No atual contexto político nacional, classificam todos os que são contra suas opiniões como “petralhas”, “militantes do PT”, “mortadelas” ou “esquerdistas”, mesmo que a pessoa expresse claramente não ser petista ou mesmo de esquerda.

11) Têm fixação pelos termos “valores”, “princípios” e “bons costumes”. De fato, acham-se donos dessas palavras.

12) São maniqueístas, ou seja, pregam o princípio “8 ou 80”. Sua visão de mundo limitada só os permite enxergar extremos: bem e mal, certo e errado, honesto e desonesto, guerra e paz, amigo e inimigo, esquerda e direita. Nunca há um meio termo. Logo, se você não está do lado deles, está contra eles.

13) Pensam ser os donos da verdade. Ninguém mais pode estar correto. Como conseqüência, acham que todos são obrigados a concordar com o que eles dizem.

14) Têm dificuldade em admitir que estão (ou mesmo possam estar) errados.

15) Crêem que seu modo de viver ou estilo de vida é incontestavelmente o melhor.

16) Sentem uma necessidade mórbida de impor esse estilo de vida, além de sua visão de mundo e opiniões, a todas as outras pessoas.

17) Quando têm argumentos, são fracos e facilmente refutáveis. Na maioria das vezes, entretanto, baseiam suas opiniões na mais pura teimosia, desprovida de qualquer lógica e justificação plausível.

18) Quando acabam seus argumentos, partem para a baixaria, que inclui ataques pessoais, xingamentos e agressões físicas.

19) Em contextos de debates ou discussões, têm extrema dificuldade em se ater a argumentos objetivos. Necessitam apelar à subjetividade para defender suas proposições.

20) Tiram conclusões precipitadas a partir de dados insuficientes.

21) Ofendem-se por qualquer coisa e freqüentemente se fazem de vítimas.

22) Gostam de fazer polêmica, mesmo que sejam ridicularizados por isso.

23) Como são a maioria, não dão a mínima para as minorias.

24) São machistas, racistas, homofóbicos, xenofóbicos e ateofóbicos (e sentem orgulho de o serem — não fazem questão nenhuma de esconder).

25) São a favor do militarismo e da intervenção militar, mesmo quando se trata de um golpe de estado ou de um regime ditatorial.

26) Crêem que a censura, a tortura e a guerra são justificáveis e por vezes até necessárias.

27) Só são a favor do direito de expressão quando este se aplica a eles, não aos outros. Quando suas “verdades absolutas” são contestadas, apressam-se a tentar censurar os adversários.

28) Riem na cara da liberdade individual.

29) Acreditam que existam valores morais objetivos e universais, mesmo que a realidade mostre exatamente o oposto.

30) Em geral, têm pouco estudo. Via de regra, quanto mais educada a pessoa, mais esclarecida e menos conservadora.

 

© 23 de Março/7 e 28 de Abril de 2016, por Klaus die Weizerbüken. Cópia permitida mediante crédito ao autor e ligação ao blogue.

Anúncios

~ por Klaus die Weizerbüken em 10/05/2016.

Uma resposta to “Como identificar conservadores”

  1. Conservador é o primeiro estágio do ser humano intolerante de direita, ele geralmente é menos intolerante que os demais, porque é mais avesso a se declarar, o segundo não, já é mais revoltado: é o reacionário, que encontramos com maior frequência entre familiares e colegas de trabalho, nas redes sociais, comentaristas habituais de notícias de portais, o estágio seguinte é o fascista. O fascista é o intolerante em pessoa, defende a militarização da sociedade, pena de morte, intervenção militar, condenação de quem é -ou quem pensa- diferente (mulheres, negros, índios, gays, estrangeiros devem ser tratados como párias, se submeterem aos superiores).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: