Lista de Não Teístas da Wikipédia

Com esta postagem, pretendo ajudar na divulgação da sensacional Lista de Não Teístas da Wikipédia, uma grande vitória da comunidade racionalista brasileira. Digo “grande vitória” porque, como atual maior contribuidor do artigo, posso dizer que não foi fácil mantê-la, mesmo não tendo participado de sua construção e mantenimento pela maior parte do tempo. Contribuí pela primeira vez apenas em 2015, mas acompanhava, a distância, as inclusões e remoções esporádicas feitas por outros usuários.

Desde que comecei a participar ativamente do desenvolvimento e da manutenção do artigo, gastei incontáveis horas desfazendo ocasionais ataques (chamados no âmbito wikipediano de “vandalismos”) e revertendo freqüentemente edições impróprias, como adições de pessoas que nem tinham artigo na Wikipédia, adições de nomes sem fontes (ou com fontes não fiáveis), retiradas de nomes devidamente embasados etc. Como exemplo, só eu reverti umas 4 vezes a retirada de Madre Teresa feita por simpatizantes da freira que não se conformavam com sua presença na lista e sequer se davam o trabalho de checar as três (repito: três) fontes confiabilíssimas disponibilizadas (jornal The Guardian, revista TIME e canal CBS). Fora as vezes que outros usuários fizeram a mesma coisa (e devo agradecer a eles pelo esmero com a página demonstrado nessas e outras ocasiões).

Também retirei, várias vezes, nomes adicionados sem nenhuma fundamentação, como Adolf Hitler. Nem que procurassem, não encontrariam qualquer fonte confiável que classificasse o Führer como ateu. Como já tratei aqui mesmo no blogue, até onde sabemos (ou seja, até onde nos mostram as evidências disponíveis), ele era teísta e provavelmente cristão. Esse tipo de estorvo não é novidade. Como pode ser visto aqui, desde as primeiras semanas, a lista já sofria com adições indevidas de usuários teístas. Visando a denegrir a imagem dos ateus, acresciam, sem nenhuma fonte, nomes de grandes ditadores e outras figuras cruéis da História como Hitler, Stálin, Pol Pot, Mao, Milošević e Mengele.

Outra dificuldade que, junto a outros vigilantes do artigo, enfrentei de vez em quando foi a grande pressão dos teístas para retirar a página do ar. Já propuseram eliminá-la, mas felizmente não conseguiram. As justificativas eram diversas, mas fracas: “esta página é um absurdo”, “uma lista desse tipo não condiz com a proposta da Wikipédia”, “essa lista é desnecessária”, “essa lista mais parece uma categoria”, “Wikipédia não é repositório”, “trata-se de propaganda ateística com intuito de influenciar as pessoas”…

Algumas das polêmicas a respeito da lista podem ser lidas na própria página de discussão do artigo. Lá você vai encontrar debates acirrados sobre as crenças de Hitler, Einstein, Madre Teresa, FHC, Darwin, Obama, Renato Russo e várias outras personalidades, além de mi-mi-mis infundamentados de crentes (isto é, gente que crê) que “exigiam” a eliminação da página. Um deles chegou a alegar que se tratava de uma lista “não enciclopédica criada por partidários do ateísmo militante”, como se a Lista de bilionários tivesse sido criada por inveterados defensores do capitalismo e a Lista de florestas nacionais do Brasil, por militantes ambientalistas parciais. Na verdade, a função de uma lista, quer tenha a ver com alguma idéia ou ideologia quer não tenha, é simplesmente prática. Serve para dois propósitos principais: organizar e apresentar dados que tenham alguma relação. Fazemos listas de compras de supermercado ou listas de presentes por esses motivos: precisamos organizar dados parecidos num mesmo lugar e apresentá-los de forma ordenada para futuras consultas rápidas. Sempre que alguém quiser saber, de forma ágil e funcional, se um fulano era ateu ou agnóstico (isto é, não teísta), basta ele consultar a lista disponível na Wikipédia, da mesma forma como faria se quisesse saber de sua aprovação num vestibular ou concurso em lista divulgada no site da universidade ou organização. Fácil, não ?

Isso tudo que mencionei, obviamente, só fez demonstrar o risível desespero dos teístas ao verem nossa invejável lista de ateus e agnósticos. Primeiramente, por causa dos nomes incluídos: ter Einstein, Darwin, Nietzsche, Freud, Marx e outros nomes de peso do seu lado é muito confortante, mas preocupante para o time adversário.

Segundamente, porque nosso artigo é exemplarmente fundamentado com diversas citações, todas de fontes fiáveis. Em comparação com artigos teístas (e outros não relacionados ao teísmo também, sejamos justos), damos um belo exemplo de enciclopedismo sério. Não só lista é modelo no quesito de referenciação de nomes já inclusos como também é paradigma na remoção de nomes sem fontes. A tolerância é zero: nome adicionado sem fontes = edição revertida.

Faço questão de ressaltar as fontes porque, na Wikipédia de língua portuguesa, é comum encontrar artigos sem fontes, com fontes não fiáveis, com fontes fiáveis primárias ou com fontes fiáveis secundárias mal citadas. Nossa lista faz referência a grandes enciclopédias, livros publicados internacionalmente por editoras renomadas e entrevistas com as próprias personalidades de quem se fala, publicadas em revistas, jornais ou sites de vídeos.

Encaminhando-me para o fim, gostaria de fazer um pequeno resumo sobre a história do artigo. Criada em 2 de Dezembro de 2006 pelo usuário ateu Sturm, a lista original continha apenas 17 nomes, totalizando míseros 728 bytes, 10 vezes menor que um arquivo do Word 2007 sem nada escrito. Hoje, quase 10 anos depois, após milhares de contribuições de centenas de wikipedistas, possui 784 nomes e 345.328 bytes (dos quais pouco mais de 185.000, 54% do total, foram adicionados por mim). Isso a torna o 7º maior artigo da Wikipédia lusófona. É brincadeira ??

Antes de terminar, convém mencionar que a lista, em sua versão atual, é majoritariamente baseada na minha própria lista, feita com muito empenho e sacrifício durante aproximadamente um ano, divulgada aqui.

Finalizo assegurando que a lista pode e deve melhorar. Como exemplo, pode-se pensar em adicionar descrições de cada nome (e.g.: “Jeremy Bentham, filósofo, jurista e reformista social inglês, fundador do Utilitarismo”, como fiz na minha lista acima). Considero isso importante para dar uma contextualização e evitar ambigüidades. Outra sugestão, já dada na página de discussão, é dividir a lista em outras mais específicas, como fazem na Wikipédia anglófona. “Não teísta” é um termo genérico e confuso. Pode-se criar a lista de ateus, a lista de agnósticos e a lista de panteístas. Creio que até mesmo uma lista de irreligiosos (independentemente da crença em Deus) seria bem-vinda. Uma coisa é certa: com o crescimento do ateísmo e do agnosticismo, não teremos folga; sempre haverá mais um nome a ser adicionado. Continuemos firmes.

Enfim, vamos divulgar essa longa e respeitável lista de gente que não acredita ou, pelo menos, duvida da existência de deuses !

© 18 de Abril de 2016, por Klaus die Weizerbüken. Cópia permitida mediante crédito ao autor e ligação ao blogue.

Anúncios

~ por Klaus die Weizerbüken em 18/04/2016.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: