Esquadra Bela

Inclusão tardia na série de poemas escritos em português arcaico. Desta vez, a obra é de um amigo de Machado de Assis, o qual fora seu vizinho e companheiro de sessões na Academia Brasileira de Letras.

Ó, esquadra bela que ergue o estandarte !
Mais de mil foram perdidos,
Mais de mil se perderam,
Mais de mil não foram achados.
E, ao passar pela estrada bela,
Cor de vela,
Lembrar-me-ei das glórias passadas
E dos amores esquecidos…

Grandes nomes da pátria em vão
Foram sempre testemunhos da vitória
Ó, grande pátria sã !
Quando de ajuda, vem ao encontro
E guia à Liberdade.
Devem ser de almas celestes,
Sertões e agrestes,
As pessoas alegres
Da Querida Nação.

© Setembro-Outubro de 1894 por Mauro Herculano Filho/Final de 2010 por Klaus die Weizerbüken (a cópia não-autorizada deste poema pode resultar em pena de morte)

Anúncios

~ por Klaus die Weizerbüken em 07/07/2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: