Ó, Alice Querida !

O último poema da nossa série de poemas em português arcaico é bem mais recente que os outros. Foi escrito na segunda metade do século 18. A linguagem é bem mais simplificada, uma vez que a língua portuguesa já tinha passado por várias transformações e começou a ficar cada vez mais simples e parecida com o que é hoje.

Ó Alice,

Espousa adorada,

És mais que poema,

És mais que aguardada

 

Tu és a única que

Acalma minh’alma

E me livra do fardo

Das mágoas que guardo

 

Se dia, então

Surjar o peligre,

Como hey, minh’amada,

De trajar os degraus da escada ?

© Maio/Junho/Julho de 1772/Abril de 1773 por Álvarez Setúbal (a cópia não-autorizada deste poema pode resultar em pena de morte)

————————————————————

Termos:

* Surjar o peligre: expressão da época que significa “morrer” (como “abotoar o paletó”)

* trajar: verbo da época que significa “subir”, “ascender”

 

© 24 de Abril de 2010 por Klaus die Weizerbüken (a cópia não-autorizada deste texto pode resultar em pena de morte)

Anúncios

~ por Klaus die Weizerbüken em 20/10/2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: